H06.jpg

PostHeaderIcon - UMA ÚNICA CALMA E TREMENDA EXISTÊNCIA

 

 

“... Erga seus olhos em direção ao Sol.

ELE está lá, naquele admirável coração de vida e luz e esplendor.

Observe à noite as inumeráveis constelações cintilando quais sentinelas solenes do Eterno, no ilimitado silêncio, que não é um vazio, mas pulsa com a presença de uma única calma e tremenda existência. Veja ali, Oriôn, com sua espada e cinturão, brilhando como Ele brilhou para os pais arianos há dez mil anos atrás, no início da era ariana; Sírius, em seu esplendor, Lyra, percorrendo bilhões de milhas no oceano do espaço.

Lembre-se que quando estes inumeráveis mundos não existiam, a maioria deles mais poderosos do que o nosso próprio, estão girando com indescritível velocidade , ao aceno daquele Ancião do Tempo, para onde ninguém a não ser ELE sabe, e, contudo que eles sejam um milhões de vezes mas antigos do que o nosso Himalaia, mas firmes que as raízes de nossos montes e assim devam permanecer até que ELE, por sua vontade, sacuda-os como folhas estioladas da eterna árvore do universo.

Imagine a infinitude do Tempo, considere a incomensurabilidade do espaço e então lembre-se que, quando estes mundos não existiam, ELE existia, ainda o mesmo.

Observe que Ele está muito além de Lyra na imensidão do Espaço, onde as estrelas do Cruzeiro do Sul não podem ser vistas e mesmo assim... ELE está lá.

E então, retorne à Terra e compreenda quem é este ELE.

ELE está bem perto de você.

Veja aquele velho encurvado e torto, com a sua bengala... Você percebe que é DEUS quem está passando?

Acolá uma criança corre, rindo à luz do Sol... Pode você ouvi-LO naquele riso?

Não, ELE está ainda mais perto de você.

ELE está em você.

ELE é você!

É você mesmo que arde milhões de milhas distante, nas infinitas extensões do Espaço, que caminha com passos confiantes pelos retumbantes vagalhões do mar etéreo. Foi você quem colocou as estrelas em seus lugares e teceu o colar dos sóis, não com suas mãos, mas através daquele Yoga, aquela silenciosa vontade, impessoal e sem ação, que o colocou aqui hoje, ouvindo a si próprio em mim.

Erga seus olhos... Oh filho do antigo Yoga e não seja mais um medroso e um cético e um covarde; não tema, não se aflija, pois em seu corpo aparente está o UNO, que pode criar e destruir mundos com um sopro.

SRI AUROBINDO