H05.jpg

PostHeaderIcon - REFUNDAÇÃO

 

 

 


Imagine por um momento um mundo onde as pessoas querem aprender e evoluir, onde ninguém tem medo de ser ele mesmo e de dizer o que realmente pensa e ninguém se sente ofendido se os demais se expressem livremente, senão pelo contrário; sentem curiosidade por conhecer e aprender tudo o que o outro diz e experimenta, onde ninguém toma nada de forma pessoal porque já sabem que tudo é o UNO, onde a necessidade das pessoas é aprender e realizar-se, sendo isto o que realmente aspiram, sem formalismos, sem normas, sem medos, sem bons nem maus, só a saudável curiosidade de querer conhecer Deus em todos e em tudo. Um mundo onde todos compreendem que Deus é muito mais que a paz, a harmonia e o amor humanos e são capazes de viver os choques e críticas como algo natural e necessário para seu crescimento pessoal; de maneira que deixem de dar tanta importância ao que agrada a sua natureza individual pessoal e assim podem criar uma “harmonia real em luta e conflito, em comunhão e camaradagem” que abarque à natureza de todos e cada um, uma Harmonia prática de viver e materializar aqui o UNO em todos e em cada um deles, capaz de materializar a consciência da Unidade, transcendendo a consciência separativa dos seres pela entrega prática constante a esta consciência de unidade que pressiona para superar o que não aguentamos nos demais, uma Unidade que se coloca acima das diferenças e as integra, que está acima de tudo, uma harmonia real e divina que integra todos os aspectos da manifestação divina, os que nos agradam e os que nos desagradam.


Este mundo, é o mundo que queremos para poder trabalhar elevando-nos. Este mundo só pode existir se alguns seres humanos realmente se atrevem a experimentar uma vida maior, mais verdadeira e divina; insatisfeitos e fartos de viver entre as quatro paredes da prisão de sua consciência separativa, fartos da injustiça e falsidade do mundo. E seu medo de equivocar-se seja menor que a necessidade de atrever-se a experimentar formas novas evolutivas de relacionar-nos mais verdadeiras e mais sinceras, onde as coisas que se pensam se dizem face-a-face por AMOR, sejam boas ou más e as relações se tornem mais profundas e as uniões reais e verdadeiras, à prova de bombas, até chegar ao estado de transmutação divina, união real, harmonia real, camaradagem real, honra e lealdade real. Há que ter capacidade de luta e sacrifício para aguentar esta 
alquimia de nossa natureza, mas o cobre não se converte em ouro sem sacrifício por nossa parte, e não se pode aguentar o sagrado ofício se não existe no indivíduo a Necessidade que em si mesma é a fonte do Conhecimento, senecessita aguente, seja o que seja.


Contudo a Graça e Realizações sempre estão à espera de nosso esforço para precipitar-se e materializar-se em nossa natureza. Sabemos que o Alto nunca cessa em sua resposta ao mercenário Divino, e sempre responde à chamada pura do que busca e coloca todo seu esforço em dirigir-se a Ele.


Os que preferem não lutar, não ousam... por mais que intenteis evitar ou esconder vossa hipocrisia ou obscuridade (que todos temos, isto não podeis negar) diremos a vocês que, por mais que intentes separá-los de vossa obscuridade, não vais conseguir, só a enterrareis mais profundo em vossas capas subconscientes, e lhe dareis uma importância e um poder muito maior do que realmente tem; o que ocorre é que não te atreveis a vivê-la e aceitá-la com naturalidade......... ainda que deveis saber que as boas intenções disfarçadas de luz e de nuvens brilhantes ou propósitos altruístas, escondem os mais escuros territórios do ser humano que se auto-compadece a si mesmo. E aos que mais medo tenham da dor e do sofrimento na vida e quanto mais se escondam disto, mais dor e sofrimento atrairão sobre eles, sempre foi assim, ainda que seja em forma humana....... quem pretende evitar a vida e teme seus choques não se realiza, a entrega consciente à vida e sua experiência redentora é caminho estreito do que ama o Divino, porque sabe que o Divino se entregou ao mundo e não pode haver salvação individual sem salvação do mundo…….e senão como aprender a entregar-se...se há medo, onde está a fé na Vontade Divina? E se a dúvida é por falta de Conhecimento, pois contacte-a e te a daremos.


Amo à humanidade mas não aguento os demais, esta é a contraditória e bipolar consciência egoística. O segredo prático para realizar a Consciência Redentora é viver a experiência dos demais, vendo o Uno neles, entregar-se a uma formação grupal, aguentando os choques da convivência com pessoas diferentes e objetivo comum. Um terreno prático para a alquimia de transmutação e entrega ao guia Divino que determina as experiências pelas que deve passar o grupo, e sempre com a predisposição do que aguenta, porque aprende. Com absoluta sinceridade entre seus membros por mais que doam os golpes. Quem em verdade ama à humanidade e quer sua salvação, pode ter o valor suficiente para atrever-se com esta experiência zênite. Para o buscador e aventureiro divino se converte em apaixonante meta.


"Deus golpeou-me através de outro ser humano, ou através de uma enfermidade minha ou de um ser querido, devo dizer: te perdoo “Oh Senhor” mas não voltes a fazê-lo?"………..
"Se o Inferno fosse possível, “não seria” o atalho mais curto até o mais alto dos céus? Pois, é que duvidamos que verdadeiramente, Deus ama?"

Eu colho minha obscuridade e a atiro à luz, a dor cada vez é menos intensa, o prazer cada vez é menos intenso, algo novo (como uma alegria cheia de calma), se materializa sólida como um muro de pedra plástica, uma calma imperturbável física e real se materializa, uma alegria inexpressável transcendenossos prazeres e sofrimentos.


O Amo e Senhor da existência se oculta em nossa ignorante natureza, sem que nós saibamos o que somos e Ele tão pouco nela se reconheça ou se lembre.

Presa de seu auto-esquecimento, joga de esconde-esconde consigo mesmo, submetendo-se a sua própria Energia-Força que cria e destrói para seguir criando. Imerso em um mundo de forças em choque e agregação, preso da beleza da caótica desarmonia da Natureza evolutiva, instrumento e campo de Seu infernal jogo.

O Amo e Senhor do jogo vagueia em segredo, dentro de nossa casa com nome humano, como soberano que não exerce seu poder, delegando em seu válido, o ser humano, onde ELE não se recorda de si mesmo.


O Amo e Senhor do jogo, vive no homem como em sua casa; fez do universo seu terreno de jogo, e no homem é o jogador "AQUELE QUE JOGA" desconhecendo sua origem e devir, encerrado na forma humana experimenta as infinitas possibilidades de Sua Criação.

Como um imenso estádio construído para o despertar de seu Poder.


Onisciente, aceita ser Inconsciente e viver em nosso estado de obscuridade.


Divino, ELE adota formas de animal ou de homem; e se submete a suas regras e experimenta os choques de forças em luta e combate desde o alfa criacional.

Eterno, ELE aprova o Destino e o Tempo, assumindo o imprevisível devir de sua ignorância, sua fragilidade ante as possíveis circunstâncias da vida temível e temerosa.


Imortal, ELE aceita morrer e joga com a mortalidade, sabendo de antemão que morreria milhões de vezes, durante eones, era seu fim a morte.

ELE, Plenamente-Consciente se aventurou na Ignorância, que não sabe DELE.


ELE, Plenamente satisfeito admitiu ser insensível. Converteu-se em crua matéria, em uma espécie de aparência morta.

Encarnado em um mundo de dor e de luta, aceitou como homem lutar e sofrer como meio alquímico de seu esplendoroso e Sublime Reencontro.

ELE põe sobre si o gozo e a aflição como uma roupagem, a aparente desarmonia como uma oportunidade, o medo e a coragem como Sua Ocasião, a vida miserável como sua escada de ascensão em sua experiência Redentora e bebe seu sangue derramado pela Vida, como a experiência de um Vinho revigorante em sua ascensão até a Infinitude.


No conhecimento espiritual do eu estão os três passos de sua auto-realização que são, ao mesmo tempo, três partes do conhecimento único. O primeiro é o descobrimento da alma, não da alma externa do pensamento, a emoção e o desejo, senão a secreta entidade psíquica, o divino elemento dentro de nós. 

Quando alcança o domínio sobre nossa natureza, quando somos conscientemente a alma e quando a mente, a vida, e o corpo tomam seu verdadeiro lugar como seus instrumentos, tomamos consciência de uma guiança interior que conhece a verdadeira Verdade, o verdadeiro Bem, o verdadeiro Deleite e a verdadeira Beleza da existência Toda, controla o coração e o intelecto mediante sua lei luminosa e conduz nossa vida e ser até a integridade espiritual.

Inclusive dentro das obscuras obras da Ignorância temos um testemunho que discerne, uma luz vivente que ilumina, uma vontade que afasta, descasca e separa a verdade da mente de seu erro, separa a íntima resposta do coração desde suas vibrações ante uma errônea chamada e uma errônea exigência sobre ele, e separa o verdadeiro ardor e plenitude do deslocamento da vida, da paixão vital e as nubladas falsidades de nossa natureza vital e suas obscuras auto-buscas.

Este é o primeiro passo da auto-realização, para entronizar a alma, ao divino indivíduo psíquico no lugar do ego. O passo seguinte é tomar consciência do eu eterno inato em nós e um com o eu de todas as coisas. Esta auto-realização libera e universaliza; ainda que nossa ação proceda ainda na dinâmica da ignorância, já não a trava nem a leva pelo mau caminho, porque nosso ser interior reside na luz do auto-conhecimento.

O terceiro passo é conhecer o Ser Divino que é de de uma só vez tríplice: nosso supremo Eu transcendente, o Ser Cósmico, fundamento de nossa universalidade, e a Divindade interior da qual nosso ser psíquico, o verdadeiro indivíduo evolutivo em nossa natureza, é uma porção, uma chispa, uma chama que cresce dentro do Fogo eterno do qual se acendeu, e do qual é o testemunho sempre vivo dentro de nós, o instrumento consciente de sua luz, poder, alegria e beleza. Consciente do Divino como o Mestre de nosso ser e ação, podemos aprender a converter-nos em canais de sua Vontade, o Divino Poder, e atuar de acordo com seus preceitos ou sua regra de luz e poder dentro de nós.


Nossa ação então não será dominada por nosso impulso vital nem governada por uma norma mental, pois atua de acordo com a Verdade permanente ainda que plástica das coisas, (não a que a mente constrói, senão a superior mais profunda e mais sutil verdade de cada movimento e circunstância, como a conhece o conhecimento supremo e a exige a suprema vontade do universo).


A liberação da vontade segue à liberação do conhecimento e é sua consequência dinâmica; é o conhecimento que purifica, é a verdade que libera, o mal é somente o fruto de uma ignorância espiritual e desaparecerá só mediante o crescimento de uma consciência espiritual e à luz de seu conhecimento.

A divisão de nosso ser do ser dos demais, pode só remediar-se eliminando o divórcio de nossa natureza separada em consciência da realidade da ALMA, QUE SABE QUE EM REALIDADE TODOS SOMOS O UNO, mediante a abolição do véu entre nosso devir INDIVIDUAL e nosso SER REAL, mediante a conexão do distanciamento de nossa individualidade na Natureza, com o Ser Divino que é a Realidade Onipresente na Natureza e acima dela.

De nada serve abrir-se à VONTADE DIVINA se não estás disposto a entregar-te completamente a ela... se buscas a Verdade, a Liberdade, a Imortalidade, torna-te membro do Clube de Luta.


A maioria das pessoas lê isto e diz: eu estou disposto a entregar-me e se engana, para variar... como quando dizem que amam incondicionalmente e que são boas pessoas e os maus são os demais……….POIS EM REALIDADE SE OS OBSERVAR UM POUCO, VERÁ QUE NÃO DEIXA DE JULGAR...
Enfim, que nos AUTO-enganamos CONTINUAMENTE, não é verdade?


A entrega à Vontade Divina significa que se amanhã seu marido/mulher te deixar, compreenderá perfeitamente e o aceitará, porque é Obra da Vontade Divina ou que se morrer um filho, o aceitará com um sorriso na face...e se te arruínas começará de novo sem uma só queixa. É duro, não é verdade? Pois é o que há, a entrega à Vontade Divina que se expressa nas Obras da vida, a aceitação total não a temos nenhum de nós, e me atrevo a dizer....... que muitos de nós nem sequer queremos tê-la.


Mas por quanto tempo nós vamos seguir nos enganando....!!! E que belo é tudo quando nos enganamos!!!....


Que bonito e que vazio de espírito!!!..... menos mal que está a Vontade Divina. Ela sempre está disponível para dar-nos boas doses de fogo espiritual, porque se deixasse por nossa conta........ seguiríamos tranquilos em nossa cadeira. Verdade pura…


O que pode ser mais divino que o Amor? Mas a adoração e a devoção são impotentes em si mesmas para resolver as discórdias do mundo. 

“A associação grupal entre pessoas com o Amor como seu princípio secreto e seu emergente Cume é o modelo, o Poder desta nova criação transformadora e, portanto, o princípio diretivo do desenvolvimento no terceiro estado da vida evolutiva para a Liberação. A preservação consciente da individualidade junto com a conscientemente aceita necessidade e desejo de intercâmbio, auto-entrega e fusão com outros indivíduos, é necessária para a materialização no ser humano do princípio do Amor; pois se a ação na vida fica descartada, a atividade do amor cessa, qualquer que seja o lugar que tome”.

Jesus, O CRISTO ou Avatar adorado do Amor, é um exemplo Divino, sua memória é luminosa e atemporal. Mas seguirá sendo ineficaz para nós e para a vida até que o façamos baixar da Cruz, e harmonizemos a adoração e devoção com o resto das qualidades Divinas, que são necessárias para nosso desenvolvimento até o homem novo. Quantos golpes recebeu da vida, seu caminho secreto é o clube da luta. 

Deus não só é Amor; outro dos nomes de Deus é Conhecimento. Quando no Templo que adoramos ou na ONG que trabalhamos fechamos as portas ao Poder do Conhecimento (erro que cometemos continuamente), esterilizamos nossas raízes secretas e secamos o poço de nossa vida interior, complacentes com os bons e harmoniosos que somos convertemos a Unidade em um zero inexistente e encontraremos ao final que nosso lótus do coração está embotado, morto ou murcho, e descobrimos que alcançamos a morte e não a grande existência. Paz e amor e mais o da sala…
E tudo isto ocorre porque não reconhecemos a complexidade do enigma que devemos resolver aqui entre nós……

Geramos contradições e oposições entre as palavras AMOR, PODER, CONHECIMENTO, etc., e todos estes nomes são Deus. O enigma se resolve harmonizando os contrários, vendo a real UNIDADE nos opostos e experimentando a desarmonia entre nós, até que este esforço e luta, consiga materializar em nossa natureza a consciência subjacente da Unidade, com o princípio do Amor sustentando o sacrifício do trabalho consciente de transmutação. O Amor por si só não pode resolver as discórdias do mundo, se descesse subitamente nos romperia, é necessário um primeiro descenso de um poder derivado, um Poder de combate e luta que abra caminho através de nossa natureza e a prepare, porque o amor por si só não pode impulsionar sua natureza até sua transmutação, só atua como seu princípio secreto detrás do véu. Este Poder de Combate, precipitou-se na terra em quatro de janeiro de 1969, agora emerge e determinará a Ocasião.


“Os indivíduos e os agregados (grupos de indivíduos), que desenvolveram primordialmente a lei de associação e a lei de amor, de ajuda comum, bondade, afeto, camaradagem, Unidade Real entre eles , pese suas diferenças e ocorra o que ocorra, HARMONIZARAM MAIS EXITOSAMENTE SUA SOBREVIVÊNCIA (suportando suas diferenças e enfrentamentos, como parte da REAL HARMONIA e mútua auto-entrega), o grupo que incrementa o indivíduo e vice-versa, e o indivíduo que incrementa o indivíduo e o grupo que faz o mesmo com outro grupo, mediante intercâmbio mútuo DE EXPERIÊNCIA, CONTATOS E CHOQUES TRANSMUTADORES serão os más aptos para la SUPRA-VIVÊNCIA E REALIZAÇÃO neste estado terciário da evolução.”

Queridos amigos, aqui estamos, as linhas estão abertas, o caminho aberto para andá-lo; todas as ações levam a alguma parte; nossa aspiração e concentração se estão ordenando no GRANDE SENTIDO.